Notícias

Intel vai reduzir o ritmo de lançamento de processadores da nova geração

A esperança sempre é a última que morre.
Intel vai reduzir de fabricação de novos CPUS

Especialistas, já há algum tempo, afirmavam que a Lei de Moore estaria vendo seus momentos finais no mercado. E, agora, a Intel parece ter confirmado isso, ao anunciar que vai reduzir o fluxo de lançamento de novos processadores, abandonando o sistema “tick tock” que usavam até o momento em prol de um ciclo de três fases, adicionando um ano de existência às famílias que já estão no mercado.  As informações são da própria fabricante, segundo informa o Engadget.

Conhecido como “Tick-Tock”, o método até então vigente consistia no desenvolvimento de um processo mais eficiente de fabricação seguido da otimização das capacidades de desempenho das CPUs. Sob o nome de PAO (Proccess > Architecture > Optimization), a metodologia que deverá então guiar os novos processos de produção deverá se constituir por três etapas, o que, na prática, resulta na adição de um ano sobre o ciclo de produção de novas gerações de processadores.

Significa, assim, que os consumidores terão de esperar ao menos três anos pela chegada de novas CPUs (no “Tick-Tock”, o tempo necessário ao aprimoramento dos componentes era de cerca de dois anos e meio). A mudança no processo de fabricação se dá em função da redução do tamanho dos chips, problemas foram enfrentados pela Intel já durante a adaptação dos processadores de 22 para 14 nanômetros, o que gerou, ainda em 2014, o desenvolvimento do PAO.

Apesar do aumento na janela de lançamentos, o que acaba permitindo que concorrentes como a Samsung alcancem a Intel com mais rapidez, a fabricante disse que vai lançar os chips de 10 nanômetros antes da concorrência. Além disso, a empresa citou a complexidade cada vez maior nos produtos como um fator que vai dificultar ainda mais esse combate, fazendo com que o mercado tenha menos players e mais companhias consolidadas. A expectativa é de que a próxima geração de arquiteturas, com cinco nanômetros, comece a aparecer em 2020.

A fabricação de chips que sucedem o Kaby Lake (a 6ª geração de processadores inaugurada no ano passado) já deverá adotar os processos de três estágios – são esperadas CPUs de 10 nanômetros melhores, mais rápidas e ainda mais eficientes.

Os processadores Kaby Lake devem ser lançados ainda este ano e os chips Cannonlake, com 10nm, podem aparecer em 2017.

127431.216899-POA-Intel

Fonte: Engadget

 

 

Você deve estar logado para postar um comentário. Login

Deixe uma resposta

Recente

Topo