Notícias

Farmacêuticos não aceitam a liberação da ‘pílula do câncer’

aprovação pode prejudicar imagem científica do Brasil.

A (Interfarma) comentou sobre a liberação da ‘pílula do câncer’, segundo a associação isso pode denegrir a imagem da ciência do Brasil lá para fora, em nota a associação disse “encerra um dos capítulos mais tristes da saúde pública brasileira”.

A lei sobre o uso de fosfoetanolamina foi sancionada ontem (13) pela presidente Dilma Rousseff, os pacientes que tirem interesse em usar poderão utilziar porém, terão que assinar um declaração de consentimento. O artigo 1º destaca que “esta lei autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com neoplasia maligna”.

“O Brasil, a partir de hoje, entra na história da ciência mundial e da indústria farmacêutica como o primeiro país a legalizar a irresponsabilidade, anular a importância da ciência e a igualar o remédio com o não remédio. Uma decisão tão sem sentido que informa que a droga, que não foi testada nem aprovada pela Anvisa, só pode ser produzida por quem tem autorização para fabricação de medicamentos pela mesma Anvisa”, afirma a associação.

Essa fosfoetanolamina hoje é estudada por pesquisadores que acreditam na cura do câncer, após ser divulgada para toda impressa sobre essa ‘pílula do câncer’, usuários estão acreditando que ela possa ser o grande curador do câncer, vale lembrar que isso ainda não foi cientificamente comprovado.

Fonte: G1

Recente

Topo